O que não recebi em Março


Como alegria de pobre dura pouco, esse mês não recebi o sensor Enlite, estou utilizando o último sensor da caixa que recebi o mês passado. Fiquei triste, como sempre, principalmente porque o sensor é um dispositivo que me ajuda muito no controle da glicemia, principalmente à noite, quando estou dormindo. Esse mês evitei vááárias hipoglicemias noturnas por causa do sensor: ele detectava que a glicemia estava caindo rápido, eu suspendia a administração de insulina na bomba e a glicemia estabilizava. Resultado: adeus hipo e eu voltava a dormir tranquilamente.

Mas vida que segue, porque nem tudo são flores:

O QUE NÃO RECEBI EM MARÇO

- Fitas de glicemia capilar
Enlite Sensor de glicose MMT 7008A - caixa com 5 unidades e 10 adesivos externos - 1 caixa/mês


A maior besteira

Não importa se você tem diabetes há 1 ano, 10 anos ou 30 anos, sempre existe algo novo a se aprender. Aprender sem precisar errar, na minha opinião, é a melhor forma de se aprender. Mas às vezes, a gente aprende é só pela dor mesmo.

Há pouquíssimo tempo, no carnaval, tomei uma decisão que mais tarde descobriria que foi uma péssima decisão, mas serviu como aprendizado.

Eu iria viajar por 3 dias nesse carnaval: saí no sábado de manhã e na segunda à noite já estaria em casa. Decidi que não iria fazer a troca do refil e cateter da bomba durante a viagem e sim antes de viajar. Assim, a viagem seria mais tranquila. Eu prefiro fazer dessa forma, trocar em casa sempre que possível, ainda que eu leve todos os insumos reservas por precaução dentro da mala.

No sábado de manhã então eu coloquei um novo refil de insulina na bomba, troquei o cateter e o coloquei na parte do glúteo (é onde eu gosto de colocar quando eu vou usar biquíni). Antes de fazer essa troca, o cateter estava na minha perna esquerda.

Quando eu voltei para casa na segunda-feira à noite, percebi que o local onde estava o antigo cateter não estava cicatrizando da forma normal. Sério, a pele ficou parecendo queimada, na verdade, ficou parecendo uma queimadura de cigarro, como se alguém tivesse apagado o cigarro bem forte na minha perna. Ficou a marca da cânula do cateter bem escura, demarcada e cheia de pequenas bolhas.



Já se passaram duas semanas desde o carnaval, já fiz várias outras trocas da bomba e ainda carrego na perna essa marca, que agora está descascando.

Mas como eu disse no início do texto; que decisão mais besta essa minha! Eu sabia que estava indo para um lugar onde eu tomaria sol, só com essa informação eu já poderia ter evitado esse tipo de decisão, mas às vezes a gente precisa de fato sentir o erro na pele para aprender.

Põe mais essa na minha conta aí!

Linha do tempo - Retrospectiva de insumos em 2016

2016 foi um ano muito difícil sob a perspectiva de recebimento dos insumos pela secretaria de saúde de MG. Em um ano - 12 meses - apenas em 1 mês eu recebi todos os insumos que eu deveria receber TODOS os meses. Resumo da obra: fora o mês de abril, nos outros 11 meses sempre faltou algum insumo para receber.

Eu poderia generalizar e falar que 2016 foi um ano péssimo, mas ainda me esforço para ver o lado positivo da vida. Sim, o ano inteiro faltou insumos e eu precisei pagar por eles do meu próprio bolso. Mas, ao menos eu tenho um emprego e recebo um salário em que, mês ou outro eu consigo comprar alguns insumos. Não todos, claro, como se sabe este é um tratamento de alto custo e se eu precisasse comprar todos os insumos mensalmente, a realidade é que eu não conseguiria pagar pelo tratamento e precisaria abandoná-lo, voltando às múltiplas injeções de insulina.

Para além do meu emprego, tenho em minha vida pessoas amadas que me ajudam sempre. Meu pai, minha irmã e meu noivo diversas vezes compraram alguns insumos para me ajudar, porque faltava tanto insumo na secretaria de saúde que a conta no fim do mês apertava demais e não tinha outro jeito: se a secretaria de saúde não me entregou, eu preciso comprar.

Continuo com a certeza de que é um absurdo que o Governo descumpra a ordem de um juiz e não forneça os insumos aos quais eu, legalmente, tenho direito em receber para me tratar.

Abaixo, fiz uma linha do tempo de 2016 e início de 2017 sobre a retrospectiva dos insumos que recebi do Governo, mês a mês. Como eu disse, vejam que apenas no mês de abril/2016 eu recebi todos os insumos, que são 5 no total:

1. Reservatório de insulina Paradigm Reservoir MMT332A - caixa com 10 unidades/ mês
2. Conjunto de infusão Paradigm Quick Set MMT 399 - 6mm, tubo de 60 cm, caixa com dez unidades - 1 caixa/mês
3. Insulina Humalog - 2 frascos/mês
4. Fitas de glicemia capilar - 240 fitas/mês (tiras reagentes)
5. Enlite Sensor de glicose MMT 7008A - caixa com 5 unidades e 10 adesivos externos - 1 caixa/mês

Lembrando ainda que existe um 6º item que deve ser entregue anualmente, no meu caso no mês de dezembro, e que eu não recebi este item em 2016:

6. Transmissor minilink MMT 7707NA - 1 unidade por ano




Boa sorte para todos nós diabéticos nesse ano de 2017!

Meu carnaval com diabetes

Ter diabetes e viajar no carnaval, qual o problema??? NENHUM.

Afinal, o diabetes me impede de quê? Que eu me lembre, o diabetes não me impede de fazer NADA do que eu quero fazer. Por isso mesmo, eu vou lá e faço!

O destino desse Carnaval era Lagoa da Prata, a 190 km de BH. Não planejei dirigir, mas o destino assim quis e eu bati cerca de 2h30 de volante. Sem hipoglicemia. Sem hiperglicemia. E sem parar para comer.


Ok, eu confesso: quase chegando na cidade eu comi dois cookies, mas dá um desconto porque eu já estava com fome né?!

Nos 3 dias que estive em Lagoa da Prata, controlei minha glicemia sem maiores problemas. Tive 2 crises de hipoglicemia e outros 2 casos de hiperglicemia, nenhum deles acima de 200 mg/dL. Me deem desconto de novo, porque no carnaval a dieta passou longe. Teve sorvete, ice, macarrão na chapa, pizza e claro, batata frita.

No sábado, fiz um bate-e-volta para a cidade natal de minha mãe: Luz, que fica a 65 km de Lagoa da Prata. Em Luz, minha glicemia ficou perfeita, completamente dentro da faixa de controle.


Em Lagoa da Prata, o look do dia era sempre o biquíni combinado com dois acessórios essenciais: a bomba de insulina e o sensor. E que ninguém diga que eu tentei esconder eles, porque não fiz esforço algum.



Passou o sábado, o domingo e na segunda-feira era hora de voltar para casa. Mais 190 km seguindo o carro do meu noivo 

Ninguém me disse o que podia e o que não podia fazer, sendo eu diabética. Eu simplesmente fui lá e fiz, porque o diabetes não me controla, EU controlo o diabetes!






... e o sensor Enlite me ajuda a controlar minha glicemia :)


O que não recebi em Fevereiro


Como eu disse no meu último post sobre a falta dos insumos, eu comecei o ano de 2017 com pensamentos bem positivos. Claro, nem tudo na vida são flores, mas posso afirmar que comecei meu ano com o pé direito e muito feliz.

O QUE NÃO RECEBI EM FEVEREIRO

- Fitas de glicemia capilar

Sim! Recebi todo o resto, inclusive o sensor Enlite, o qual não recebia desde abril/2015.


Continuo orando a Deus para que eu continue recebendo os insumos o resto do ano, porque só quem está nessa luta sabe o quanto é caro manter esse tratamento.

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo