O novembro é nosso. O azul também é nosso.


Nessa última semana percebi uma movimentação muito forte dos blogueiros em relação à Campanha de Combate ao Câncer de Próstata. Isso porque essa campanha (do câncer de próstata) também apresenta o mote NOVEMBRO AZUL, já que o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata é dia 17 de novembro.

Diante disse, alguns fatos devem ser observados:

A campanha do Dia Mundial do Diabetes acontece em novembro porque o dia mundial do diabetes, instituído pela Portaria nº 391/1997, é o dia 14 de novembro. A cor azul é utilizada, pois segue a identidade do ícone criado para representar o dia mundial do diabetes: o círculo azul. E a mão com o dedinho levantado e uma gota de sangue na ponta... Ora, precisa de explicação? Teste de glicemia capilar, feito diariamente por todos os DM1.

Já a campanha de combate ao câncer de próstata utiliza o NOVEMBRO AZUL para representá-lo, pois ele segue a lógica do Outubro Rosa, que é a campanha contra o câncer de mama, e que é tradicionalíssima. E o símbolo da mão com o dedinho levantado, bom acho que esse realmente não precisa de explicação. É compreensível e até coerente toda a simbologia utilizada. A questão é: precisa se aproximar tanto de uma campanha já existente, como a campanha do Dia Mundial do Diabetes? Precisa ser o mesmo tom de azul (aliás, precisa ser azul?)? Precisa ser a mesma imagem da mão com o dedinho levantado (sim é exatamente a mesma, só mudou a posição) já que o laço azul é o ícone que representa o combate ao câncer de próstata? Precisa utilizar o mesmo mote NOVEMBRO AZUL?

Existe um abaixo assinado direcionado à Sociedade Brasileira de Urologia, à Sociedade Brasileira de Diabetes, ao Ministério da Saúde e ao Instituto Lado a Lado pela Vida. Esse abaixo assinado é justamente para ajudar a mudar a identidade visual da campanha de Combate ao Câncer de Próstata, que está super parecida com a campanha do Dia Mundial do Diabetes. Vamos assinar gente, é muito rápido e precisamos de força nesse momento. Clica aqui e assina!

Publicitários deste meu Brasil (principalmente aqueles que trabalharam na "criação" da campanha de combate ao câncer de próstata), meus caros colegas de profissão, dizem que neste mundo nada se cria e tudo se copia, mas precisa ser tão descaradamente? Criatividade, reciclagem, inovação e ideias novas, meus caros, ideias novas. Isso é o necessário para se criar novas campanhas. Ideias novas. #ficaadica

Mais uma SextAzul


Oba! Mais uma sexta-feira que chegou anunciando mais uma SextAzul. É muito legal quando a gente se engaja com essas ações. A gente se anima, se antecipa, aguarda a chegada do dia, prepara boas vibrações e pensamentos positivos especialmente pra este dia. Isso é realmente muito legal. É engraçado perceber, mas toda quinta-feira eu fico preparando qual blusa azul vou usar na sexta-feira. É porque eu não tenho muitas blusas azuis, quem me conhece sabe que meu forte é a cor rosa. Por isso fico matutando e buscando no guarda-roupa uma peça azul. Na sexta-feira pela manhã, saio de casa vestindo azul com todo o orgulho de estar representando essa causa, mesmo sabendo que muitas pessoas ainda não entendem ou não conhecem a campanha.



Como eu já havia comentado aqui no blog antes, essa ação está com muita força no ambiente online. O pessoal tem participado curtindo e compartilhando os posts no Facebook, vestindo azul, tirando uma foto e enviando para ser publicada... Aliás, quem quiser pode enviar sua foto vestindo azul para o email: diamundialdodiabetes@gmail.com, informando nome e cidade.



Hipoglicemia noturna


Perigo. Essa é a palavra que define a hipoglicemia noturna, aquela que acontece quando estamos dormindo.

Eu já tive vários casos de hipoglicemias noturnas, das mais brandas até as de alto risco. Na grande maioria das vezes eu acordo por causa dos sintomas: sudorese (parece que acabei de dar um mergulho na piscina), taquicardia, tremor, e um fato no mínimo curioso: o sono vai embora na hora. Eu simplesmente abro os olhos e o sono foi embora, fico lá com os olhos arregalados sem nenhum vestígio do pleno estado de sono em que eu me encontrava.

É por isso que sempre tenho na cabeceira de minha cama um sachê de glicose instantânea e um bolinho, daqueles tipo muffin (que eu A-M-O), e às vezes umas balinhas macias. Quando estou despreparada, ou seja, quando eu me esqueço de repor os "itens de cabeceira", eu logo acordo minha irmã, que divide o quarto comigo, e ela me ajuda.

Teve uma época em que eu sofria constantes crises de hipoglicemias noturnas. Era quase uma rotina de tão frequente. Isso foi uma época de rebeldia (que eu já contei aqui em outro post). Mas em determinado momento eu já deitava e ficava com medo de que eu poderia passar mal e não conseguisse acordar, porque as hipos se tornaram tão frequentes que eu tinha receio de que meu corpo estivesse se acostumando a esse evento e não mais reagisse como deveria (com os sintomas que eu citei acima), então eu não conseguiria acordar. Fui ao médico e alguns ajustes nas doses de insulina e na contagem de carboidratos ajudaram com este contratempo.

Porém, o que eu temia eventualmente aconteceu. No início de 2012 eu tive uma queda na glicemia tão acentuada que não consegui acordar. Como divido o quarto com minha irmã, ela acordou, fui socorrida e levada ao hospital. Isso por volta das 7h da manhã. Porém, acordei no hospital por volta das 16h sem saber o que havia acontecido. Em verdade não me lembro de nada, apenas de ir dormir normalmente e acordar em um hospital :(

Foi justamente por esse episódio que iniciei o texto definindo a hipoglicemia noturna como perigosa.

O que tenho que ficar bastante atenta, neste caso, é com a dose de insulina que injeto a noite de acordo com a contagem de carboidratos. Se eu contar certinho, pesar direitinho as porções dos alimentos, sei que não terei problemas. O que me falta agora é começar a fazer lanches mais leves à noite - segundo a minha nova dieta. Então vamo que vamo!

SextAzul


Você sabe o que é a SextAzul? Não? Então já vou te contar: a SextAzul é uma das ações realizadas pela Federação Internacional de Diabetes e pela Sociedade Brasileira de Dibetes e tem como objetivo divulgar a importância e o conhecimento sobre a prevenção do diabetes. 

Essa ação atinge fortemente o ambiente online e durante todas as sextas-feiras que se seguem até o Dia Mundial do Diabetes - 14 de novembro - as pessoas se vestem com a cor azul, tiram fotos para a campanha e compartilham essas fotos e também os logos da SextAzul e do Dia Mundial do Diabetes em seus perfis na rede social. É também um dia em que os blogueiros fazem postagens compartilhadas sobre o tema.

O ícone que representa o Dia Mundial do Diabetes é o círculo azul. Ele foi criado sob o conceito de que deveria ser algo tão simples que até uma criança pudesse desenhá-lo. Nessa campanha, o círculo simboliza a união e a cor azul representa o céu, e é também a mesma cor da bandeira das Nações Unidas, que representa também a união entre os países.

O tema da campanha de 2013 é: Diabetes, proteja o nosso futuro. A campanha já está a todo vapor na internet e quem segue a fan page do Dia Mundial do Diabetes no facebook já pode conferir algumas peças divertidas dos monumentos que são iluminados, criadas para integrar a ação da SextAzul.


Sucesso! Então vamos todos vestir azul na sexta-feira!



Facebook - Dia Mundial do Diabetes


fan page do Dia Mundial do Diabetes no Facebook tem divulgado os blogs que aderiram ao selo oficial do Dia Mundial. Hoje foi o dia do meu blog ser divulgado! O post foi feito esta manhã, e fica aqui o meu muito obrigado. =D


O intuito de divulgar esse tipo de ação nas redes é disseminar informações importantes sobre o diabetes, viralizando e compartilhando para que a cada dia, mais pessoas participem, se informem e se atualizem. Vamos participar!


Insupen


O mês passado recebi uma caixa da nova agulha Insupen da Sanofi Diabetes. Testei e aprovei!

Ela realmente tem muito mais silicone na agulha. Não senti absolutamente nenhuma dor durante a aplicação. E olha que a agulha que ganhei para testar é o dobro do tamanho que eu uso, ou seja, acostumada a uma agulha de 4 mm estou utilizando uma de 8 mm e achando incrível!

Ela é fabricada em quatro tamanhos: 4, 6, 8 e 12 mm, e além deste diferencial que já citei e comprovei, ela tem algumas outras características específicas como a ponta triplamente afiada, maior diâmetro interno para facilitar o fluxo da injeção de insulina, e ainda, a parte inferior da agulha que entra no refil da insulina apresenta um tratamento antifricção, conhecido como “anti-coring”, que além de facilitar a inserção da agulha no refil, evita o risco de que pequenos fragmentos de borracha sejam possivelmente liberados dentro do refil de insulina.

Super recomendo a Insupen! É realmente uma aplicação com menos incômodo. ;)


Lipodistrofia


Já faz muito tempo que tive minha primeira lipodistrofia. Para falar a verdade nem lembro, pois já tive mais de uma vez.

Pra quem não sabe, a lipodistrofia é causada quando injetamos insulina no mesmo local muitas vezes ou quando reutilizamos a agulha. A lipodistrofia, por sua vez, se divide em dois tipos:

1- Lipohipertrofia ou hipertrofia de insulina: aparece sempre de forma suave em formato de nódulos nos locais das injeções. Esta condição pode ser causada pelos efeitos naturais da insulina, por não realizar corretamente o rodízio dos locais de aplicação ou pela reutilização de agulhas. Para evitar o desenvolvimento de lipodistrofia, vale alternar os locais de aplicação e não reutilizar as agulhas.
2- Lipoatrofia: é a perda de gordura sob a pele. Esta condição acontece no momento em que há um declive dentro da pele de textura firme. Isto ocorre com mais frequência com insulinas misturadas.

Tem coisas que acontecem e marcam a vida da gente, não é mesmo? Pois certa vez, apliquei insulina na perna, e calculei mal o lugar, logo apareceu aquele carocinho e o local ficou roxo na hora. Ficou horrível, morri de vergonha. Fiquei dias sem usar saia e short.

Depois de 6 anos, mesmo praticando o rodízio, às vezes isso ainda acontece comigo. Alguns lugares são mais fáceis de realizar a aplicação, e mesmo assim não fugimos do risco de errar o local. Um dos lugares mais difíceis de realizar a aplicação, em minha opinião, é atrás, na nádega. E por incrível que pareça não me lembro de ter errado uma aplicação neste lugar do jeito que já errei aplicando em locais “fáceis” como o abdômen e a coxa.

Tudo é prática. Já dizia o ditado: a prática leva a perfeição. E a repetição, dia após dia, faz com que ocorram mais acertos do que erros. E isso não está relacionado somente com a aplicação de insulina, isso vale para qualquer atividade que realizarmos.

É importante lembrar que nunca se deve injetar insulina nos locais com lipodistrofia porque eles não absorvem muito bem a insulina.

Existem algumas maneiras de prevenir que isso aconteça:
  • Alternar os locais de aplicação;
  • Alternar os locais das injeções dentro da área escolhida;
  • Alternar os lados (direito e esquerdo) da parte do corpo usado;
  • Trocar a agulha a cada aplicação.

Também é normal que durante a aplicação apareça uma pequena gota de sangue, que ocorre quando a agulha atinge um vaso sanguíneo. Algumas vezes acontece comigo, mas caso isso ocorra, precisamos apenas pressionar o local com o dedo, evitando esfregar ou massagear o local.















Referência site da BD: http://goo.gl/cp3uKY

Meu cantinho


Cozinha; armário abaixo da pia; segunda gaveta. Esta é a localização exata do meu cantinho ;D

Neste lugarzinho é onde eu guardo toda minha munição: canetas de insulina, agulhas, seringas, glicose instantânea, lancetas, lancetadores, glicosímetro; tiras do glicosímetro. É claro que as canetas e o glicosímetro que eu utilizo sempre ficam dentro da minha mala, digo, bolsa rsrs. Porém, tenho canetas que não uso mais, como por exemplo a caneta Novopen para insulina NPH que não tomo mais e a caneta Autopen 24 para insulina Lantus, pois agora utilizo a Clickstar. Tem também a caneta Humapen, da insulina Humalog que gira de 1 em 1 unidade, que não uso mais pois utilizo a Luxura HD, que gira a cada 0,5 unidade. Tem o meu glicosímetro Accu-check Advantage II que comprei logo no início e está guardado pois uso o glicosímetro Accu-chek Active fornecido pelo estado...

Tudo que eu preciso eu procuro nesse cantinho, fica tudo guardado lá. Com exceção das balas. Ahhh, as balas ficam no famoso “pote de balas”. Ele é famoso porque é comunitário, meus amigos adoram. E os filhos dos meus amigos também já sabem direitinho onde encontrar bala, porque o pote está sempre cheio, afinal de contas é até uma necessidade. 

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo