Exame do Pé Diabético


A equipe do Mestrado Profissional em Educação em Diabetes do Instituto de Ensino e Pesquisa da Santa Casa BH vai realizar no sábado dia 30/11 o exame completo do pé diabético, com testes de sensibilidade e informações/orientações para o cuidado dos pés.

O exame poderá ser realizado de forma gratuita e será entregue para que cada um o apresente ao seu médico. A prevenção ainda é a maneira mais eficaz de evitar as complicações que o pé diabético traz.

Lembrando que o termo pé diabético é utilizado para indicar as diversas alterações e complicações ocorridas, isoladamente ou em conjunto, nos pés e nos membros inferiores dos diabéticos.

Por isso, é sempre importante manter os níveis da glicemia controlados, realizar o exame visual diário dos pés e também realizar a avaliação médica periódica.

O exame completo será realizado no CEM Santa Casa BH, rua Domingos Vieira, 416, Santa Efigênia, de 8 as 12 horas.


Glicosímetro CEPA GC


Ontem, dia 21/11/13, recebi da secretaria de saúde o glicosímetro CEPA GC. O mesmo que foi condenado pelo Ministério Público, o mesmo que, em BH, já está sendo substituído pelo Accu-Chek Active da Roche. Pois é, aqui em Contagem, eu o recebi hoje.

Quando fui buscá-lo, a atendente que me entregou disse: aqui está o aparelho, vem com o manual, 100 tiras reagentes e com as lancetas. No mesmo instante perguntei: ok, você está me dando as lancetas, mas cadê o lancetador? E ela respondeu: não tem.

Legal né?!

E ainda completou: você deve ler o manual antes de usar, e se tiver alguma dúvida volte aqui e converse com a Juliana, que é a farmacêutica responsável pela unidade. Ou seja, ela mesma não sabia me explicar absolutamente nada sobre o funcionamento do aparelho.

Detalhe: não vem com manual de instrução. Vem com um “Guia rápido”, pra gente aprender a configurar o básico no aparelho para poder utilizá-lo. Tanto é, que no próprio guia podemos ler a seguinte informação: “... a leitura deste guia rápido não substitui a leitura completa do manual do usuário do glicosímetro.”. Ok, entendido. Porém, cadê o tal manual do usuário, que não veio com o produto e ninguém me contou onde eu o encontro? Então, eu fiz uma pesquisa no Google, e encontrei um link de uma manual deste aparelho fornecido pela Secretaria de Saúde de MG aos farmacêuticos para consulta. Esse manual pode ser lido clicando aqui.

Outro detalhe do qual ri bastante, foi quando comecei a ler o guia rápido, e a primeira frase que li foi: “Obrigado por escolher o glicosímetro Cepa GC”. Hein?!? Não escolhi nada não meu querido. Se eu pudesse escolher….

Detalhe para a seta apontando para o lancetador... que não foi entregue junto com o aparelho.



Durante o atendimento, fiz mais uma (difícil) pergunta: quando vocês vão me entregar o aparelho glicosímetro que está substituindo esse que vocês estão me dando hoje? E a resposta exata foi: provavelmente no ano que vem. Em BH ele já esta sendo distribuído, mas aqui em Contagem demora mais.

Poxa! Demora mais por quê? (Esse pergunta ainda não tem resposta.)

O fato é que se demorar o mesmo tempo que eles demoraram a me entregar o CEPA GC, só vou receber o Accu-Chek Active em 2015 (já que eu espero pelo CEPA GC desde dezembro de 2012). E olha que eu nem preciso do aparelho (pois é o que eu já utilizo atualmente), só preciso das tiras.

Por tudo que eu sei sobre este aparelho, que não é muito, e o pouco que eu sei não é favorável a ele, vou continuar confiando nos valores do meu glicosímetro Accu-Chek Active, porém estou fazendo a medição nos dois aparelhos ao mesmo tempo.

Os primeiros testes que fiz no CEPA GC mostraram resultados próximos aos do Accu-Chek Active, entretanto, sempre com valores para cima. Ao que parece, pelo menos ele está calibrado. 


As cinco coisas que eu aprendi com o diabetes


Semana passada foi comemorado o dia Mundial do Diabetes. E um dia antes do dia mundial, eu escrevi um post sobre a minha convivência com o diabetes para o Blog da G30. A G30 é uma agência de publicidade situada aqui em BH, e é onde eu trabalho como publicitária ;D

Toda semana, o Blog da G30 posta textos sobre assuntos diversos, escritos por quem trabalha na agência. E eu contribuí contando sobre o aprendizado que o diabetes proporciona no meu dia-a-dia. Exatamente por isso, o título do post é: As cinco coisas que eu aprendi com o diabetes.

Lembrando que o aprendizado é constante, então numerei as 5 coisas com as quais eu mais convivo.


Dia Mundial do Diabetes


O Dia Mundial do Diabetes 2013 chegou carregado de ações, eventos e divulgações no país e no mundo todo.

Basta procurar por Dia Mundial do Diabetes no Google e podemos ter uma ideia da dimensão da importância desse dia.

Em BH, a ação de prevenção do diabetes acontece na rodoviária e vai oferecer medição de Índice de Massa Corporal (IMC), glicemia capilar, informações nutricionais, saúde bucal e aferição de pressão arterial.

Hoje estou comemorando então o Dia Mundial do Diabetes e também o título de Tricampeão Brasileiro conquistado pelo meu time do coração Cruzeiro Esporte Clube, que não por acaso, é representado pela cor azul.

Tá tudo azul pra mim hoje!

3beijos




A SextAzul antes do Dia Mundial do Diabetes


Essa é a última sexta-feira antes do dia 14, que é o Dia Mundial do Diabetes. Por isso, vou postar aqui no blog hoje uma mensagem positiva inserida diretamente no círculo azul, que é o nosso símbolo.



A ideia partiu da IDF - International Diabetes Federation, que lançou no círculo azul sua missão, visão e propostas de trabalho. Como a versão da IDF é em inglês, a Sociedade Brasileira de Diabetes criou uma versão em português, para que nós aqui no Brasil também pudéssemos disseminar pela internet essa mensagem positiva, incentivando os diabéticos e todas as pessoas a lutarem pela causa.

E viva a SextAzul!




Para quê medir a glicemia se estou sentido que ela está baixa?


Várias foram as vezes em que eu senti alguns dos sintomas de hipoglicemia e comi algo doce antes de medir a glicemia, ou até mesmo nem medi a glicemia. Sim, várias foram as vezes em que usei a frase: “Acho que estou ficando com hipo, vou comer alguma coisa”. A frase já começa errada, com a palavra ACHO. Até porque o verbo achar tem por significado: “julgar, supor, considerar”. Achar é uma coisa, agora ter CERTEZA, somente fazendo o teste de glicemia.

A nossa percepção neste caso é muito limitada. Muitas vezes sinto os sintomas de uma hipoglicemia e, ao medir, vejo que na verdade estou com hiperglicemia. Estranho né? Mas essa confusão acontece e é mais comum do que se imagina.

O perigo consiste em tratar algo que não está de fato acontecendo. Se estou passando por uma crise de hipoglicemia, vou ingerir 15 g de carboidratos. Mas, e se no lugar de uma hipo eu estiver tendo uma crise de hiperglicemia e ingerir os mesmos 15 g de carboidratos? Estarei piorando uma situação que já não está boa. Estarei aumentado ainda mais a minha glicemia. Aí o controle foi para o espaço.

Por isso, medir a glicemia é essencial. Às vezes dá preguiça. Às vezes esquecimento. O ideal é medir a glicemia em pares, ou seja, antes de uma refeição (pré-prandial) e 2 horas após a refeição (pós-prandial). Assim, podemos mensurar se a relação insulina-carboidrato está sendo eficiente para cada caso. Outra dica importante: não adianta só medir se não anotar. Eu mesma quando não anoto os valores fico perdida. Para isso existem os diários de glicemia, para nos ajudar nesta percepção, para colocar no papel e facilitar a leitura dos valores e não deixar apenas armazenado na memoria do glicosímetro.

Várias empresas como a Novo Nordisk e a Sanofi Diabetes fornecem um livrinho de diário de glicemia. No site Espaço Diabetes tem um  diário de glicemia super simples de preencher (em word) e funciona direitinho. Clique aqui para fazer o download e imprimir.

Esse aqui abaixo é o diário de glicemia do Espaço Diabetes que eu utilizo.



Sexta-feira é dia de SextAzul


Outra sexta-feira pra deixar o dia de todos nós mais azul.

No mês de novembro, as várias pessoas, grupos, entidades que aderem à campanha do Dia Mundial do Diabetes, interagem e participam de diversas ações, e uma delas é a iluminação (de azul, é claro) de monumentos, casas, escolas, etc., de várias cidades do país inteiro.

Na campanha de 2013, a responsável pela programação visual do Dia Mundial 2013 é a Malu Serraglio, publicitária (como eu!), que faz parte da equipe do DMD no Brasil. Há 22 anos ela convive com o diabetes tipo 1 e é voluntária na Associação de Diabetes do ABC (ADIABC). Ela criou algumas peças com ideias bem diferentes e divertidas para que as pessoas se interessem e interajam com os monumentos que são iluminados no Dia Mundial do Diabetes.

Veja abaixo algumas das peças criadas pela Malu.




A criatividade é muito importante nesse processo. Sair do lugar comum desperta a curiosidade e o interesse das pessoas. E esse é o objetivo da campanha: chamar a atenção de um público cada vez maior para o conhecimento sobre o diabetes.

No hotsite do Dia Mundial do Diabetes é possível acompanhar as atividades que estão programadas, de acordo com cada região (Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sudeste, Sul). Quem souber de algum monumento em sua cidade que será iluminado de azul, ou irá iluminar sua casa, escola, etc., é só entrar em contato através do email diamundialdodiabetes@gmail.com e informar:

  • Data e horário do evento
  • Local, com endereço completo
  • Cidade e estado
  • Grupo responsável pela atividade ou nome de quem está coordenando
  • Envie fotos com a descrição

Ótima SextAzul a todos!



Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo