Sensor instalado


Hoje pela manhã a enfermeira da Medtronic e eu fizemos a instalação do sensor. Confesso que fiquei receosa, afinal é mais uma “coisa” para tentar “esconder” em meio às roupas que uso. Além do mais, a ideia dele ficar apitando sem parar também me incomoda um pouco.



Fico pensando muito no lado profissional: imagina que eu entro em uma reunião com o cliente, e o sensor começa a emitir alarmes?! Ou então, em uma reunião de brainstorm com toda a equipe da agência e, de novo, lá vem o sensor apitar! Inconveniente é a palavra que passa pela minha cabeça nesse momento.

De qualquer forma, achei muito fácil a aplicação do sensor. Mas achei muito mais difícil não deixá-lo a mostra. É mais fácil esconder a bomba =/

No meu primeiro dia com o sensor, a gente não se entendeu muito bem. Minha glicemia marcava 102 mg/dL no glicosímetro, mas a bomba interrompeu a basal 4 vezes, porque o sensor emitiu alarmes de que minha glicemia estava abaixo de 70 mg/dL. Além disso, a bomba ficou emitindo alarmes quase contínuos num espaço de 1 hora, porque o sensor estava indicando que a glicemia estava se aproximando rápido do valor 70 mg/dL. Só que o glicosímetro mostrava bons resultados de glicemia, como 94, 113, 108.


Pra falar a verdade, acredito que tudo é questão de prática. E com o sensor não deve ser diferente. É algo novo para mim e que ainda não estou acostumada a lidar. Mas com o tempo sei que ele me trará benefícios, e que esses contratempos serão entendidos e superados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo