O que não recebi em DEZEMBRO


Presente de natal de 2015: recebi T-U-D-O!

Fiquei muito feliz ao ir até a Secretaria de Saúde e esperar "apenas" 20 minutos para ser atendida (geralmente espero cerca de 2h30) e receber todos os insumos, inclusive o Minilink, que recebo anualmente.

E eu entendo que é ridículo o motivo dessa minha felicidade, pois isso deveria ser recorrente, comum e deveria acontecer todo mês. O certo é que eu receba TODOS os insumos, todos os meses. Então sim, é ridículo eu me sentir feliz por algo que deveria acontecer todos os meses, sem falta, e não esporadicamente.

Enquanto isso, em novembro eu precisei comprar uma caixa do conjunto de infusão - Quick Serter - e paguei pela caixa com 10 unidades o preço camarada de R$ 521,25.

É muito caro ser diabético nesse país, minha gente!

Visitando a capital

Quando eu viajo, toda a minha rotina muda: horários, comida, disposição...

No fim de semana, fui visitar a capital do meu país. Fiquei apenas 1 dia e meio em Brasília, mas como fui de carro, a viagem de ida e volta foi longa. Dirigindo, são mais ou menos 9 horas de viagem, de BH à Brasília.

Nessa viagem (apesar de ter sido uma viagem curta), percebi que tive mais dificuldades em manter minha glicemia equilibrada. Entre alguns picos na casa de 200 mg/dL e 2 hipoglicemias, ao menos consegui mantê-la equilibrada na tarde que fiquei turistando pelas ruas. 
Em 3 dias de viagem (1 dia para ir, 1 dia em Brasília e 1 dia para voltar), utilizei tiras para teste da glicemia na quantidade equivalente ao que uso em 4 dias. Mesmo com o sensor, foi necessário medir a glicemia mais vezes, isso me deu mais confiança ao longo do dia.

Como eu disse, tudo muda durante uma viagem, então foi um pouco difícil manter as glicemias em ordem, mas independente de qualquer dificuldade, não dá para deixar a meta de lado, é preciso ser persistente e buscar o equilíbrio, sempre, em qualquer situação.

Me encantei com o Plano Piloto de Brasília, é um lugar lindo, limpo. As obras de Niemeyer são charmosas e encantadoras, cheias de curvas. Dentre os vários lugares que visitei, conheci o Congresso Nacional e o Palácio do Planalto. A querida Presidenta estava lá, mas não consegui bater um papo e dar umas dicas pra ela haha =P


Rodízio em W

Uma coisa muito legal que a Medtronic faz é o acompanhamento do pós venda. E não, eu não estou sendo paga para fazer um post patrocinado elogiando a marca. É apenas uma questão de satisfação como usuária da marca.

A equipe da Medtronic me liga de tempos em tempos para saber como está sendo a minha experiência com os produtos dela. E nessas ligações, eles dão dicas de como aproveitar os produtos da melhor forma.

Em uma dessas ligações, conversando com o atendente, ele me ensinou o rodízio em W. Putz, 8 anos de diabetes e ninguém nunca havia me ensinado isso, e eu achei bem legal.

A ideia é imaginar um W no local da aplicação, no momento de inserir o cateter na pele. Isso quer dizer que, imaginando o W, eu tenho 5 pontos disponíveis para fazer o rodízio naquele local. Simples, mas muito útil.

Contando do local onde está a cânula, tenho mais 4 pontos disponíveis para aplicação.

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo