Muito bem resolvida

No último feriado do dia 21 de abril, eu postei em minhas redes sociais (Facebook e Instagram) uma foto minha no clube mostrando apenas a cânula e o cateter da bomba inseridos na parte lateral da perna, e de biquíni não dá para esconder, assim como eu fiz na viagem à Punta Cana. Junto com a foto postei o seguinte texto:


"Tem que ser muito bem resolvida pra conviver nessa sociedade atual, que adora julgar e apontar o dedo ao que é diferente e fora do padrão imposto. As pessoas te olham. Adultos e crianças. Olham, comentam e julgam. E eu, muito bem resolvida com minha vida e minhas decisões, aproveitei um dia lindo no clube, com minha bomba de insulina e o curativo do cateter exposto, pra todo mundo ver, apontar, julgar e pensar: 'o que é isso?' E eu? Eu nem ligo."
Recebi apoio nas redes e mais ainda fora delas. E é muito legal quando a gente consegue se libertar de alguns sentimentos que nos reprimem. Ser diabética é um exercício diário de paciência,monitoramento, autoestima, cuidado. É preciso lembrar que se estressar por causa disso não adianta e lutar contra ela é muito pior.

O que eu como durante a hipoglicemia

Desde que eu iniciei o tratamento com a bomba de insulina, eu não tive mais crises de hipoglicemia severa. Em geral, minhas hipos ficam em torno de 70/60 mg/dL. Acho que o meu menor número é 50mg/dL, desde a bomba.

Mas não foi sempre assim. Já tive várias medições de hipoglicemia na casa de 40 mg/dL, e inclusive me lembro muito bem de uma 32 mg/dL, em que eu comi todos os doces que existiam na minha casa =/ Além disso, a minha pior crise de hipoglicemia aconteceu há 4 anos, quando tive uma crise dormindo e a glicemia caiu tanto que eu não acordei e comecei a convulsionar. Enfim, águas passadas.

Hoje, meu controle está bem melhor, tanto por causa da bomba quanto pelo sensor. Mas não estou livre das hipoglicemias. Como eu disse antes, elas acontecem, mas não tão severas quanto antes.

E desde que descobri o diabetes, a indicação para tratar uma hipo é ingerir 15 gramas de carboidratos de rápida absorção, como por exemplo:

©3 balas macias
©1 copo (200 ml) de água com açúcar
©1 copo (200 ml) de suco de laranja
©1 copo (200 ml) de refrigerante comum
©1 sachê de glicose instantânea (Gli instam)

Momento de sinceridade: quando eu tenho uma crise de hipo, vou escolher beber água com açúcar? CLARO QUE NÃO. Não vou ser hipócrita. Se eu tenho que comer carboidrato, que seja algo gostoso =9

Se eu estiver fora de casa, minha escolha é sempre pelas balas. Tenho uma bolsinha cheia de balas dentro de qualquer mochila ou bolsa que eu uso. Se eu estiver em casa, minha opção número 1 são os bolinhos da Bauducco hahaha. Eu sei, eu sei. Parece muito infantil, mas como estou com o modo sinceridade ligado, não tenho vergonha em admitir que eu simplesmente AMO esses bolinhos.

Cada bolinho tem entre 16g e 19g de CHO (um pouquinho a mais dos 15g indicados), mas funciona para mim. Essa variação de carboidrato depende do sabor.

E para você, o que funciona melhor?

O que não recebi em ABRIL


Depois de ficar 2 meses sem receber o sensor (já estava sentindo falta do barulhinho dos alarmes), finalmente recebi esse mês.

O resumo da obra é completo: dessa vez não faltou nada.

Eu já disse isso antes, mas fico tão aliviada quando recebo todos os insumos, e isso deveria ser o padrão.


Enfim, o que faço é torcer para que todos os meses sejam como abril, para que não falte nada. ©

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo