Tampinhas por todos os lados

A coisa mais comum que vejo os diabéticos comentarem nas redes sociais é que, vira e mexe, eles encontram fitas de teste de glicemia espalhadas por toda a casa, pela bolsa, mochila, enfim, por todo canto.

Claro que essas fitas são as fitas usadas, depois que a gente faz o teste ao invés de ir para o lixo elas se perdem no “limbo”.

No meu caso, esse problema não existe. No começo sim, eu deixava as fitas usadas em qualquer lugar (tipo em cima da mesa, dentro da bolsa, etc). Mas depois, eu comecei a pensar que é bem anti-higiênico: o que tem na fitinha é sangue e ninguém é obrigado (além de nós mesmos) a manusear as fitas usadas para jogar no lixo algo que nós deixamos jogado em qualquer lugar.

Além disso, quando eu fiz o treinamento com a enfermeira da Medtronic, ela me sugeriu que eu separasse um recipiente vazio (um galão de amaciante, por exemplo) e descartasse nesse recipiente os materiais perfurocortantes que utilizo, ao invés de descartá-los no lixo comum. E, ao encher esse recipiente, ela indicou que eu o levasse ao posto de saúde mais próximo para que eles fizessem o descarte da forma correta. A ideia é simples, mas achei genial. Daquele tipo de ideia que a gente pensa: “como eu não pensei nisso antes?”

Recapitulando o que eu estava dizendo: no meu caso, eu não tenho esse problema de fitas espalhadas pela casa, mas tenho outra questão: tampinhas do conjunto de infusão espalhadas por todo e qualquer lugar que eu passo!

E eu não considero isso um problema. Primeiro, porque aqui não tem o fator de ser anti-higiênico, pois a tampinha não contém sangue e nenhum outro fluido, é só uma tampinha de plástico. Segundo: ela é muito útil.

Para quem não está muito familiarizado, essa tampinha faz parte do conjunto de infusão da bomba de insulina. Como a bomba não pode molhar é preciso retirá-la para tomar banho ou nadar e colocar a tampinha para proteger o local.

Tenho tampinhas espalhadas por todo canto: no banheiro, nos quartos, dentro de todas as minhas bolsas, na necessaire de maquiagem, na bolsinha do glicosímetro, na bolsa da academia, na casa do meu namorado, na gaveta da minha mesa no trabalho… Everywhere!

E às vezes minha mãe as encontra em lugares mais inusitados como na cozinha, no chão, na área, embaixo do sofá, embaixo da mesa… Acontece nas melhores famílias hahaha. Antes sobrar do que faltar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo