Hemoglobina Glicada e férias

O primeiro post que escrevi esse ano no blog foi sobre resoluções de ano novo (se você ainda não leu clique aqui e leia). Uma das metas era: alcançar uma Hemoglobina Glicada de 7%. Na época, minha glicada estava 7,3%.

Isso foi em janeiro. No mês seguinte, em fevereiro, eu refiz o exame e consegui alcançar minha meta: resultado 7%.


A partir daí, sigo na eterna luta para manter ou diminuir esse número. Porém, um fator de extrema importância entrou em cena duas vezes esse ano e dificulta bastante esse controle. Esse importante fator chama-se FÉRIAS!

A primeira vez que ela apareceu esse ano foi em março. Então imagina o cenário: alcancei o resultado de 7% na glicada em fevereiro, mas em março iria fazer uma viagem para Punta Cana no regime all inclusive, ou seja, comida e bebida liberada por 7 dias. Eu sabia que isso ia mexer com minha meta.

Fiquei 25 dias de férias, refiz o exame em junho. Resultado: 7,1%.


Ok, não foi tão péssimo assim, várias pessoas me disseram que estou sendo perfeccionista, mas a meta não é 7,1%, a meta é = ou < que 7% (pura matemática rsrs).

Enfim, glicada a 7,1% e eis que ela surge pela segunda vez: férias em julho/agosto, mais 20 dias de guloseimas e culpa pós-guloseimas.

Confesso que quando estou de férias não consigo ser rígida quanto à restrição alimentar e também largo de vez os exercícios físicos. Dessa vez, por exemplo, eu jurei que iria correr na esteira durante as férias, mas não a liguei um dia sequer.

Agora a cota de férias para o ano de 2016 acabou e tudo volta ao “normal”: rotina, trabalho, horários, comidas, exercícios físicos, estresse, dormir pouco...

Tenho mais 4 meses até o final do ano para voltar à meta que consegui cumprir no 2º mês do ano. Espero não decepcionar a mim mesma. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo