Festival de Gastronomia em Tiradentes

Mais um bate e volta, dessa vez para Tirandentes - MG.


Era domingão e saí cedo para chegar lá por volta do horário de almoço e aproveitar o Festival Cultura e Gastronomia de Tiradentes. Aí você já pensa: viagem que envolve comida rsrs. Vai ser um desafio controlar a glicemia.

E o desafio começa cedo, porque o diabetes não dá férias pra gente, né?!
Tem dias que o nosso corpo reage de forma diferente para as mesmas refeições que comemos. Comigo isso acontece às vezes, e aconteceu nesse dia da viagem. Acordei às 8h. Glicemia jejum com número mágico: 100 mg/dL. No café da manhã comi a mesma coisa que como todos os dias, mesma quantidade de carboidratos, mesma quantidade de insulina a ser aplicada. Saí de casa feliz!

A viagem de BH a Tiradentes de carro dura por volta de 3h. Mas já na primeira hora de viagem, hipoglicemia de 50 mg/dL.

Acontece que eu vacilei. Vacilei como se eu nunca tivesse viajado antes na minha vida: como eu iria ir e voltar no mesmo dia, preparei uma bolsinha com meus documentos, dinheiro, celular, glicosímetro e 11 balas. Só 11 balas! Onde eu estava com a cabeça?

Não sei. Até agora estou tentando entender onde estava minha cabeça quando eu coloquei apenas 11 balas na bolsa. E se eu tivesse 2 hipoglicemias durante o trajeto da viagem? E se tivesse outra hipo na volta?

Só nessa crise de hipo na estrada já foram 4 balas. Gente, a coisa não é brincadeira, não cometam o mesmo erro que eu. Eu pensei que seria difícil controlar a glicemia porque ela iria subir, já que no festival as comidas eram diferentonas. Mas não pensei o contrário: que eu teria dificuldade de controlá-la porque ela cairia.

Convivência com o diabetes é um aprendizado constante, não adianta achar que já sabe de tudo. Graças a Deus não tive outra crise de hipo durante o resto do dia.

No festival, tinham várias comidas que eu não comia hahaha, tipo frutos do mar. As comidas servidas nos stands eram bem diferentes mesmo, experimentei algumas como doce de abóbora com coco e gengibre, joelho de porco e batatinhas, bolo sem glúten, mas acabei almoçando em um restaurante self-service, com arroz integral, feijão, frango grelhado, linguiça com jiló e batata frita acompanhado de coca-cola zero.


Pra fechar o dia, uma garrafinha de Skol Beats Senses, porque ninguém é de ferro.  E vamos de insulina, afinal, cerveja tem carboidratos.


Tiradentes é uma cidade histórica, assim como Ouro Preto, que é uma das cidades que mais gosto aqui em Minas. É cheia de morros com subidas íngremes em paralelepípedos e várias lojinhas de casas tombadas que vendem doces. E eu resisti a todas.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo