Meu carnaval com diabetes

Ter diabetes e viajar no carnaval, qual o problema??? NENHUM.

Afinal, o diabetes me impede de quê? Que eu me lembre, o diabetes não me impede de fazer NADA do que eu quero fazer. Por isso mesmo, eu vou lá e faço!

O destino desse Carnaval era Lagoa da Prata, a 190 km de BH. Não planejei dirigir, mas o destino assim quis e eu bati cerca de 2h30 de volante. Sem hipoglicemia. Sem hiperglicemia. E sem parar para comer.


Ok, eu confesso: quase chegando na cidade eu comi dois cookies, mas dá um desconto porque eu já estava com fome né?!

Nos 3 dias que estive em Lagoa da Prata, controlei minha glicemia sem maiores problemas. Tive 2 crises de hipoglicemia e outros 2 casos de hiperglicemia, nenhum deles acima de 200 mg/dL. Me deem desconto de novo, porque no carnaval a dieta passou longe. Teve sorvete, ice, macarrão na chapa, pizza e claro, batata frita.

No sábado, fiz um bate-e-volta para a cidade natal de minha mãe: Luz, que fica a 65 km de Lagoa da Prata. Em Luz, minha glicemia ficou perfeita, completamente dentro da faixa de controle.


Em Lagoa da Prata, o look do dia era sempre o biquíni combinado com dois acessórios essenciais: a bomba de insulina e o sensor. E que ninguém diga que eu tentei esconder eles, porque não fiz esforço algum.



Passou o sábado, o domingo e na segunda-feira era hora de voltar para casa. Mais 190 km seguindo o carro do meu noivo 

Ninguém me disse o que podia e o que não podia fazer, sendo eu diabética. Eu simplesmente fui lá e fiz, porque o diabetes não me controla, EU controlo o diabetes!






... e o sensor Enlite me ajuda a controlar minha glicemia :)


2 comentários:

Receber via email

Digite seu endereço de email:

Delivered by FeedBurner

Voltar ao topo